Conecte-se!
Facebook Feed MSN Group Twitter
Últimos assuntos
» Desistiram?
Sab Out 06, 2012 7:01 am por Convidado

» Capítulo 67 e Todos outros
Seg Jun 18, 2012 10:22 am por Tatsuya

» Capítulo 66 [+18]
Qui Jun 14, 2012 9:25 am por Tatsuya

» Capítulo 65 [+18]
Ter Jun 12, 2012 7:01 pm por Day-chan

» Capítulo 64 [+18]
Dom Jun 10, 2012 3:37 pm por Day-chan

» Capítulo 61 [+18]
Dom Jun 10, 2012 3:27 pm por Day-chan

» Capítulo 63 [+18]
Dom Jun 10, 2012 3:27 pm por Day-chan

» Capítulo 62 [+18]
Seg Jun 04, 2012 7:08 am por Tatsuya

» Capítulo 59 [+18]
Sab Jun 02, 2012 8:23 pm por Day-chan

» o Button do Fórum
Qui Maio 31, 2012 7:06 am por Tatsuya

Votação

Capítulo 56 [+18]

Ir em baixo

Capítulo 56 [+18]

Mensagem por deb-chan em Seg Maio 21, 2012 11:55 am

Assim, os agentes do FBI seguiram o funcionário da empresa até o arquivo morto da empresa, onde um computador continha os registros de todas as viagens realizadas por cada veículo da frota, inclusive os já em desuso.

A placa do veículo mostrou que na data em questão, a carreta encontrava-se em uma viagem no estado do Tenessee, com carga não informada. A estrada na qual ocorreu o acidente coincidia, entretanto, o motorista do caminhão não estava mais no quadro da empresa Roberts de transportes e cargas.

-- Você pode me informar o nome e o último endereço desse funcionário? -- perguntou o agente do FBI.

-- Sim, o nome do motorista da ocasião é Charlie Sanders. Mas ele continua na folha de pagamento da empresa, estranho isso...

-- Ele foi afastado? Demitido?

-- Não consta nada aqui, deixe-me procurar o nome dele no departamento pessoal, só um momento.

Em poucos minutos o funcionário voltou com uma informação interessante:

-- De fato, Charlie Sanders ainda é nosso funcionário, mas trabalha acerca de nove anos como segurança pessoal da Sra. Roberts.

Na mansão Gama-Tau, Amy não sossegou até Esther voltar para seus braços.

-- Meu amor, que demora! Onde você estava? Com toda essa confusão no campus, isso é coisa da Michelle não é?

-- Calma, Amy... Eu estava com Rebeca, ainda não temos certeza, mas, o FBI está encarando como uma obra da Lesbos sim.

-- Você tem que andar com seguranças, meu amor... Agora que aquela louca não tem mais domínio sobre você, imagina o que ela é capaz de fazer a força... Ai não gosto nem de pensar!

-- Amy, eu sei me defender, fique calma, você ainda está se recuperando do acidente.

Esther levou sua loirinha pela mão até a cama e a deitou no seu colo, acariciou seus cabelos com ternura como se quisesse transmitir segurança. Nos braços de Esther, Amy se sentia a pessoa mais segura e feliz do mundo.

Alguns dias se passaram e o clima no campus ainda era tenso. Dentro da Gama-Tau, todos tentavam evitar o encontro de Esther e Ellen, que chegavam a soltar faíscas pelos olhos quando se viam. Meredith e Rachel seguiam de perto os passos da ambiciosa Ellen, que apresentava um comportamento mais estranho que nunca. As investigações de Rebeca ajudavam a agente Madson que já tinha em mãos o resultado do DNA do sangue encontrado nas unhas de Virginia Bergman. Cristina então comentou com Rebeca:

-- Temos a confirmação que o sangre encontrado sob as unhas da vítima, não era dela, mas, infelizmente a amostra não é compatível com o banco de dados do FBI.

-- Isso quer dizer que a pessoa que agrediu e provavelmente assassinou Virginia não tem passagem pela polícia?

-- Isso. Mas a perícia também evidenciou que não estamos falando de um só agressor ou agressora. Nas roupas da Srta. Bergman também encontramos fios de cabelos femininos diferentes, que sequer coincidiram com o DNA do sangue.

-- Como conseguir essas amostras de DNA?

-- Primeiro temos que seguir a linha de investigação convencional, colher amostra das pessoas que conviveram com Virginia, as últimas pessoas que a viram, essas coisas.

-- Mas e quanto à Michelle?

-- Não temos nada que nos leve a ela, Srta. Travis. Nenhum juiz vai conceder um mandato contra ela com o que temos.

-- Mas... Se conseguirmos a amostra por outros meios...

-- Rebeca, nem sei se isso terá validade judicial, mas se você conseguir e tivermos a sorte dessas amostras serem compatíveis, nossa investigação terá outro rumo e aí, quem sabe, cheguemos à Michelle legalmente.

Enquanto isso, Charlie Sanders, recebia a visita dos agentes do FBI, intimando-o a prestar esclarecimentos sobre o acidente na rodovia do Tenessee há dez anos. O segurança de Michelle empalideceu e muito nervoso argumentou que chamaria um advogado, só então compareceria para o depoimento, apesar das explicações do agente.

-- Sr. Sanders, trata-se apenas de um esclarecimento, não há nenhuma ordem de prisão pra o senhor, surgiram novas informações que reabriram o caso, através delas chegamos ao senhor. Por favor, nos acompanhe, pode ligar para seu advogado do caminho para que ele o encontre na delegacia.

-- Preciso localizá-lo antes -- disse Charlie nervoso.

-- O senhor não está entendendo. Não estamos convidando o senhor, estamos intimando. Por favor, não dificulte as coisas, nos acompanhe -- disse outro agente irritado.

Charlie então entrou no carro dos policiais, no trajeto ligou para alguém visivelmente tenso, cochichou ao telefone:

-- Preciso de um advogado com urgência, estou indo para a delegacia prestar esclarecimentos sobre o acidente no Tenessee há dez anos. Não me interessa! Quero o melhor advogado, agora! Esse foi o acordo!
avatar
deb-chan
CupCake Kohai
CupCake Kohai

Mensagens : 406
Data de inscrição : 01/07/2011
Idade : 27
Localização : Curitiba-PR

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum